Para melhorar a referenciação de uma ficha, as informações fornecidas devem ser tão completas e atualizadas quanto possível.

Certas informações, como o nome do estabelecimento, têm um impacto particularmente significativo na referenciação da ficha e levaram ao desenvolvimento de práticas de otimização ditas “fraudulentas”. Uma das mais comuns é o keyword stuffing ou “repetição excessiva de palavras-chave” em português.

Trata-se de uma prática eficaz para subir nos resultados, mas vai contra a regras dos motores de pesquisa e é cada vez mais punida.

O que é o keyword stuffing?

O keyword stuffing (repetição excessiva de palavras-chave) consiste em integrar as palavras-chave num campo de texto ou página Web para melhorar a sua classificação nos resultados de pesquisa.

Na referenciação local, isto equivale, por exemplo, a adicionar palavras-chave às informações da ficha do Google (nome do estabelecimento, lista de serviços, etc.) para melhorar a sua classificação nestas palavras-chave. Geralmente, as palavras-chave integradas são a cidade, o setor ou a atividade do estabelecimento.

No caso do nome do estabelecimento, falamos de keyword stuffing quando o nome que aparece na ficha é diferente do nome real.

O Google considera que o verdadeiro nome de um estabelecimento é o que aparece na sua fachada, o seu logótipo, o seu website, ou mesmo, aquele anunciado aos clientes por telefone.

Riscos do keyword stuffing

O keyword stuffing tem um impacto negativo na experiência do utilizador (informações ilegíveis) e é punido pelos motores de pesquisa, porque é identificado como conteúdo de má qualidade. Isso também contraria as instruções do Google que, ao longo dos anos, lançou várias atualizações para limitar o impacto:

  • 2011: lançamento do Panda, a primeira atualização do algoritmo que visa penalizar este tipo de práticas nos websites. Se o Panda detetar a repetição excessiva de palavras-chave numa página Web, o Google deixará de apresentar a página nos seus resultados.
  • 2013: lançamento do Hummingbird que permite ter em conta a língua «natural», ou seja, um conjunto de palavras como um todo e já não de forma individual. Esta atualização valoriza positivamente o conteúdo natural e negativamente o keyword stuffing.
  • 2019: a atualização de Bert vai mais longe e considera mais as palavras de transição e nuances nos resultados.
  • 2021: mais recentemente, a atualização de «Vicinity» do Google, em dezembro de 2021, baixou o peso do nome do estabelecimento na classificação de uma ficha para limitar o impacto do keyword stuffing. Muitas fichas que usam o keyword stuffing pioraram os seus resultados.

Concretamente, se inserir palavras-chave na sua ficha de estabelecimento e o Google o detetar, as possíveis penalidades são:

  • Uma advertência por e-mail
  • Uma suspensão “parcial” da ficha: a ficha permanece visível no Google, mas não será possível editá-la
  • Uma suspensão “dura” da ficha: a ficha desaparece completamente do Google e perde as opiniões e fotos

As fichas que usam este método são, muitas vezes, detetadas por sugestão de nome de um internauta ou denúncia ao Google (por exemplo, de um concorrente). Uma experiência do SterlingSky mostra que, de cinquenta fichas denunciadas, 60% recebeu uma advertência, 20% foi parcialmente suspensa e 20% foi duramente suspensa.

No caso de uma suspensão dura, existem duas soluções possíveis: contactar o serviço de assistência do Google para solicitar que lhe devolvam o acesso à ficha, o que poderá demorar vários meses, ou recomeçar do 0, criando uma nova ficha.

O que fazer então?

O keyword stuffing é uma prática eficaz a curto prazo, mas arriscada a médio ou longo prazo.

Assim, recomendamos que evite ao máximo usar esta prática e quaisquer outras práticas destinadas a enganar o algoritmo do Google.

Como sempre, estamos disponíveis para aconselhá-lo nesta matéria e na visibilidade do seu estabelecimento em geral! Não hesite em contactar-nos 

Author: Beatriz

Next articles